sexta-feira, 18 de maio de 2018

Qual a importância da Educação Infantil em sua vida?














Fotos do arquivo pessoal

Quero começar falando da importância que foi na minha vida ter uma escola de Educação Infantil de qualidade e confiança, sim, esta escola foi uma escola pública, foi a escola que  fui concursada e trabalho até hoje. Ao receber a notícia que minha primeira filha havia sido sorteada na Unidade Municipal de Educação Infantil  do Bairro Castelo, chorei de alegria e senti um agrande alívio. Sim, alívio, porque sabia que poderia deixar minha bebê de apenas 5 meses em um berçário, com tranquilidade para que, como milhares de mães, após a licença maternidade, voltasse para o meu trabalho. 

Desde que foram construídas em 2004, as escolas de Educação Infantil da Prefeitura de Belo Horizonte, as UMEIs, primam pela qualidade, desde a parte material, até o nível dos profissionais que nela atuam, sendo hoje grande parte do quadro de profissionais com curso superior na área. Além, dos que ainda têm pós- graduação e até mesmo mestrado, não falando da vasta experiência na Educação Infantil, da maioria das professoras. Em todas as regionais existem processos judiciais por vagas nestas escolas, processos estes que desde sempre não são supridos justamente pela enorme demanda .

Infelizmente, essa qualidade nunca foi valorizada, sempre houve luta por melhorias, muitas das vezes, em vão, pois não nos foi retribuído o carinho e dedicação com que nosso trabalho sempre foi realizado. Mas como mãe, digo, com propriedade, que essa qualidade e carinho sempre esteve presente, independente  da desvalorização do poder público. Digo isso, e assino onde for preciso, minhas filhas, foram fruto da Educação Infantil Pública de qualidade e hoje se destacam no Ensino Fundamental na rede privada. Foram cuidadas com tamanho carinho e profissionalismo, desde o berçário até os 5 anos, muitos perguntam, foram alfabetizadas? Sim, foram alfabetizadas, de forma lúdica e prazerosa, e muito além da alfabetização, tiveram uma vivência que as permitiram serem crianças que enxergam o outro como uma extensão de si mesmas, que lidam com a diversidade de maneira amorosa e respeitosa. Agradeço imensamente às minhas colegas que fizeram parte desse crescimento delas, vejo assim, que a  UMEI está além de um  lugar de guarda, está em um lugar de aprendizagem  e carinho que permanecerá pra sempre  na vida da nossa família. 

Como Professora, me entristece pensar que somos propaganda política, sinônimo de qualidade em campanha eleitoral, mas na realidade temos que nos desdobrar para que nosso trabalho não seja afetado por tamanho desrespeito. Pois, entre um mandato e outro da Prefeitura, até hoje, não tivemos um Prefeito que honrasse sua campanha eleitoral. 

Estamos em greve desde o dia 23 de abril de 2018, dia que ficou na história, pelo desrespeito e covardia em que Professoras, muitas delas com seus filhos, foram agredidas em plena Avenida Afonso Pena com a tropa de choque, que atirou bombas de gás e jato de água do carro chamado "caveirão". Uma cena que muitas de nós só havíamos assistido pela televisão, em enfrentamentos de políciais e bandidos! É estarrecedor pensar que não houve respeito às mulheres, desarmadas, ali presentes, seus filhos e até mesmo às pessoas que passavam. 

Buscamos apenas o que é de direito da nossa categoria, direito esse que nos foi negado durante 14 anos. Então deixo a pergunta que não pode calar: Qual a importância da Educação Infantil em sua vida ?



quinta-feira, 10 de maio de 2018

Melhor que pedir descupas é saber cuidar...

Esse texto nos mostra que só pedir desculpas não demonstra empatia, mais do que pedir desculpas, ajudar a criança a se colocar no lugar do outro a ajuda a entender qual seu papel na construção de um ser humano melhor! Acesse o link abaixo para entender...

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

EXPOSIÇÃO DE ERWIM WURM O CORPO É A CASA18/09/17.

A TURMA DA BATERIA VISITA A EXPOSIÇÃO O CORPO É A CASA.

ARTES VISUAIS

ERWIN WURM – O CORPO É A CASA

SAIBA MAISsobre a mostra


O artista austríaco Erwin Wurm produz em suas obras um deslocamento de elementos do cotidiano para o campo da arte, reconfigurando objetos familiares como casas, carros, roupas e alimentos para um contexto inesperado, engraçado e ao mesmo tempo crítico em relação à sociedade contemporânea. Na exposição, apresenta uma série de trabalhos que discute o corpo humano não apenas a partir do físico, mas também de suas camadas psicológicas e espirituais. Para o artista, a casa é parte do nosso corpo: ela é uma espécie de pele que nos protege, assim como o carro ou a roupa. Em suas obras, esses elementos inanimados ganham vida orgânica – uma residência obesa, um vaso sanitário magro, uma salsicha cheia de personalidade, um carro acima do peso. Esses objetos transviados falam sobre eles próprios, mas falam ainda mais sobre cada um de nós.
O corpo e o comportamento humano estão também em discussão em suas “Esculturas de Um Minuto”, onde o público é convidado a seguir instruções para que se torne, ele mesmo, uma escultura do artista durante 60 segundos, numa espécie de performance não planejada.
SITE CCBB- BH