terça-feira, 6 de abril de 2010

Um pouquinho de notícias sobre a greve.

MÍDIA DA GREVE:

ESTADO DE MINAS / AQUI - sem avaliação: ambos dão destaque à greve da rede particular. Apenas no EM, há uma menção à greve da rede pública municipal no final da matéria:

"REDE MUNICIPAL Em assembleia, ontem, os professores da rede municipal decidiram manter a paralisação, iniciada no mês passado."

Hoje em Dia - avaliação: o destaque vai para a greve da rede particular, entretanto a matéria termina com a greve da rede pública municipal: mídia espontânea neutra.


Professor particular decide manter greve
Paralisação, por tempo indeterminado, será reavaliada na terça, em assembleia da categoria


Os professores da rede particular de ensino se juntaram aos da municipal e determinaram na segunda-feira (5) greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia da categoria na Escola de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Com isso, estudantes de escolas como o Colégio Imaculada Conceição, Escola da Serra, Colégio Marista Dom Silvério e Magnum Cidade Nova e Buritis (apenas turno da tarde), estão sem aula na segunda-feira (5).

Após a reunião, os professores seguiram para a frente da Superintendência Regional do Trabalho, onde foi realizada uma reunião com o Sindicato das Escolas Particulares (Sinep/MG). Segundo Marco Eliel de Carvalho, vice-presidente do Sindicato dos Professores Particulares de Minas Gerais (Sinpro-MG), não houve acordo entre as partes. “O sindicato patronal vai fazer assembleia no dia 7 de abril. A data é muito longe para nós, de forma que ficamos numa situação de continuidade da greve por tempo indeterminado”, justificou. Uma assembleia dos professores será realizada na terça-feira (6), às 16 horas, na Escola de Medicina da UFMG para a determinação da suspensão ou continuidade da paralisação. “Antes disso, vamos para a frente da sede do Sinep, onde os patrões vão fazer uma reunião, às 9h30”, disse.

De acordo com o Sinpro-MG, 34 escolas particulares pararam na segunda-feira (5). Entre elas, os colégios Arnaldo, Padre Eustáquio, Magnum Cidade Nova, Escola da Serra, Loyola e Marista Dom Silvério. Os professores da rede municipal de Belo Horizonte também decidiram pela continuidade da greve depois da assembleia realizada às 14 horas na Escola Municipal Marconi. Desde o dia 18 de março, os educadores decidiram parar as atividades.

ONTEM, TV, 5 DE ABRIL

TV Alterosa - avaliação: matéria encabeçada pela greve da rede particular traz, na segunda metade, uma mídia espontânea positiva. Destaque para a frase: "as pressões econômicas não vão impedir os servidores de manterem o movimento". Destaque para a sintaxe das imagens: boletim e destaque de faixas, assim como passeata e gritos de "negociação já" nos são favoráveis.
Fonte: Coletivo fortalecer
Postar um comentário