quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Férias com diversão!




Brincadeiras também são exercícios físicos

As brincadeiras tradicionais também ajudam a melhorar o condicionamento físico das crianças.

É comum não se dar conta disso, mas as aulas de educação física ou da escolinha de esportes não são os únicos momentos em que a criança está praticando atividades físicas. Ela também beneficia sua saúde física enquanto se diverte com suas brincadeiras, especialmente aquelas tradicionais, como pega-pega, pular corda, esconde-esconde, duro ou mole e muitas outras que já fizeram parte da infância de várias gerações.

A professora de educação física Sara Quenzer Matthiesen* explica melhor os benefícios deste tipo de atividade. "A criança amplia seu acervo motor e trabalha suas capacidades físicas, como velocidade, resistência e agilidade", diz ela. Além disso, estas brincadeiras funcionam como exercícios potentes, que colaboram para o aumento do consumo de oxigênio, beneficiando a freqüência cardíaca, respiratória e o condicionamento físico. Ou seja, melhorando o fôlego.

Por isso é tão importante incentivar seu filho a brincar ao ar livre e não ficar muitas horas em frente da televisão, jogando videogame ou brincando no computador. É preciso se mexer! Desta maneira, sua disposição para as atividades do dia-a-dia aumenta e ele ficará mais atento ao que ocorre à sua volta.

E nunca é demais lembrar o quanto as brincadeiras são importantes para o desenvolvimento social da criança. "As brincadeiras infantis trabalham a criatividade, a espontaneidade, a sociabilidade, que são fundamentais para sua formação. Tanto que, nas aulas de educação física, muitos professores têm explorado atividades e jogos tradicionais, resgatando a cultura de forma lúdica", conta Sara.

Ela explica que modalidades esportivas, como o atletismo, são ensinadas a partir de brincadeiras como pega-pega. "A brincadeira é usada para se chegar à especificidade do conteúdo de uma corrida de velocidade. Com isso, o professor alia o desenvolvimento físico ao conhecimento cultural, atrelando atividades próprias da infância ao conteúdo das aulas de educação física, que envolve, entre outras, as modalidades esportivas."

Como muitas crianças não têm afinidade com os jogos antigos, os pais podem estimular os filhos brincando com eles. Além de agradar aos pequenos, que adoram novidades, os adultos também se divertem muito ao recordar da sua própria infância.

Uma boa dica é reunir toda a família - avós, tios, pais e filhos - e deixar cada pessoa falar sobre suas brincadeiras favoritas. "Todos saem ganhando, ampliando conhecimentos motores, culturais e laços afetivos", diz Sara.

*Sara Quenzer Matthiesen, professora do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Rio Claro (SP), onde coordena o Grupo de Estudos Pedagógicos e Pesquisa em Atletismo (GEPPA). Especialista em educação física escolar, doutora em educação, autora de "Atletismo se aprende na escola" (Ed. Fontoura), entre outros livros.
Postar um comentário